Romance is a Bonus Book || Resenha

sexta-feira, março 22, 2019


"Somos livros esperando que alguém nos abra e nos veja por dentro"

Título original: 로맨스는 별책부록
Título romanizado: Byeolchaekburok
Episódios: 16
Emissora: tvN
Diretor: Lee Jung Hyo
Roteiro: Jung Hyun Jung
Elenco Principal: Lee Jong Suk e Lee Na Young
Período de transmissão: 26 de janeiro a 17 de março de 2019
Gênero: Romance, Comédia, Office



     Cha Eun Ho é um brilhante escritor, considerado um gênio e uma "estrela emergente na ordem dos escritores" pelos seus colegas, além de ser o mais jovem fundador e editor-chefe de uma grande empresa do ramo editoral. Desencantado pelo amor e com sua personalidade cínica e calorosa — um charme especial —, ele segue conquistando as mulheres sem nunca se apegar, pois a única pessoa que ele verdadeiramente ama tornou-se o motivo de não acreditar no amor.

     Sua amiga de infância, Kang Dan Yi, costumava ser uma talentosa redatora, que se destacava no meio publicitário por ter realizado grandes projetos e adquirido diversos prêmios. Após uma pausa de sete anos em sua carreira, agora divorciada e desempregada, ela busca retornar ao mercado de trabalho. Porém, sente que se perdeu no tempo, pois mesmo com suas qualidades excepcionais, continua a ser reprovada nas incontáveis entrevistas de emprego que participa.

     Finalmente surge uma oportunidade para ela na mesma empresa de Cha Eun Ho. Imagine a surpresa do rapaz ao encontrá-la em uma dessas entrevistas omitindo do seu currículo todos os seus grandes feitos? A curiosidade, o carinho e o antigo interesse de Cha Eun Ho por sua amiga os conduz a um relacionamento carregado de ternura e desvelo.


Por que assistir Romance is a Bonus Book?

1. Temas sociais relevantes

     Se você gosta de histórias que envolvem mulheres fortes e independentes, personagens cativantes, e uma boa pitada de realismo, esse é o drama que deverá maratonar! Romance is a Bonus Book não é somente o último drama estrelado por Lee Jong Suk, é também um drama carregado de lições. Para além do romance suave e do ar levemente cômico, ele nos apresenta questões muito relevantes, como a dupla jornada das mulheres e o divórcio. Embora peque em algum sentido, considerando que a protagonista é uma mãe divorciada, mas isso não chega a ser muito bem explorado, ainda que outra personagem apresente a mesma característica. Contudo, mesmo a sutileza da presença desses temas é suficiente para nos fazer refletir.

"Toda mulher gosta dessa história. É a Cinderela. No entanto, sou velha demais para acreditar em tal conto de fadas. O pensamento de ser salvo por um cavaleiro de armadura brilhante é muito exagerado para eu acreditar. Prefiro escrever a história da minha própria vida."



2. Noona Romance

     Outro detalhe que parece ser bastante destacado pela comunidade de fãs, é o fato de ser um Noona-romance, ou seja, um drama que envolve um relacionamento de duas pessoas com uma maior diferença de idade, sendo a mulher a mais velha. Suponho que a relevância desse detalhe tenha a ver com a dinâmica entre os personagens. Por exemplo, Cha Eun Ho é mais jovem, porém adota uma postura de protetor, servindo de suporte para Kan Dang Yi. No entanto, sempre reconhece a capacidade, a força e a persistência dela, o que faz com que ele tenha confiança de que ela possa, acima de tudo, cuidar de si mesma. Por outro lado, vez ou outra ele age como a "criança" que se espera que ele seja por ser mais jovem. Seja por ciúmes ou quando se deixa levar pelo seu encantamento. Temos também o inverso, com Kan Dang-Yi sendo mais velha e tendo seus momentos infantis. Isso a torna mais fofa, charmosa, e com uma personalidade brilhante, do tipo que parece sorrir com todo o corpo e a mente.

"Tudo o que tenho a fazer é colocar uma pomada quando ela cair, eu acredito que ela vai se levantar e se dirigir para o ataque"







3. Livros e Office-drama

     Temos inúmeros exemplos de romances de escritório em dramas que conquistaram nossa atenção e se tornaram favoritos, a exemplo de What's Wrong with Secretary Kim, My Secret Romance e Protect the Boss. Já dá para considerar a presença de muitas situações constrangedoras e engraçadas. No caso de Romance is a Bonus Book, temos um extra, um detalhe especial: o cenário lindo e magnífico, com muitos livros e uma palheta de cores bem delicada. Não entendo muito de fotografia audiovisual, mas tive a sensação de que há uma beleza nas cores do drama. Outra coisa que me atraiu bastante é a reverência que os personagens têm para com os livros e o amor pelas palavras.

"Algumas vezes, ele percebeu que estava escrevendo poemas aos quais ninguém estava interessado, mas ele teve que continuar. Poemas batiam em seu coração todos os dias, e ele tinha que escrevê-los em um papel. É quem ele era e era assim que ele poderia viver. Mas assim, o mundo perdeu uma pessoa bonita."


💢 ATENÇÃO!!! Alerta de spoilers. É recomendado assistir o drama antes de continuar. E sugiro um minuto de lágrimas pelo alistamento do Lee Jong Suk. Não sei como irei sobreviver sem esse rostinho por dois anos.

O que eu tenho a dizer sobre...

A trama

      Eu sinto que não existe uma trama principal em Romance is a Bonus Book. A história inicia com o casamento de Kang Dan Yi que, futuramente, se desfaz, e a personagem se vê desempregada e sem ter onde morar, precisando ainda cuidar de sua filha que estuda no exterior. É uma pena que o fato dela ser mãe tenha sido quase que completamente ignorado. Há quem possa considerar um ponto positivo, não terem feito um grande caso disso. Porém, acredito que faltou um pouco daquele realismo que eu mencionei anteriormente. Simplesmente deixaram no ar "ah, eu sou divorciada, tenho um pouco mais de idade e uma filha". Ok, tudo bem, mas e as implicações disso? No fim, não consegui formar uma conclusão, estou apenas deixando meus pensamentos fluírem aqui. Até porque, quem sabe, a história que se pretendia suave pudesse se tornar cansativa?

     Quanto ao mistério envolvendo o desaparecimento do escritor Kang e o segredo de Cha Eun Ho, eu não tenho muito o que dizer. Me pareceu não a cereja, mas a cobertura do bolo. É bacana estar lá, dá um sabor a mais. Eu também me senti tocada. Um escritor com alzheimer é como um cantor que perdeu a voz, ou um cirurgião que perdeu a visão. Ainda tem o fato dele finalmente conhecer seu filho que nem sabia que tinha, mas logo em seguida não poder se recordar da sua existência. Isso é realmente triste. Cha Eun Ho foi quem despertou seu lado paterno e, considerando que ele também perdeu seus pais, é reconfortante saber que eles tinham um ao outro.

O romance

     Cha Eun Ho sempre amou Kang Dan Yi, tanto que não conseguia entender como ela pôde se apaixonar pelo seu ex-marido, que não era sequer do tipo cavalheiro, nem parecia respeitá-la. Certamente ele se arrependeu de tê-la deixado casar quando descobriu o quanto ela sofreu após o divórcio. Kang Dan Yi não seria diferente, lembrar do dia do seu casamento era trazer à tona uma memória do que poderia ter vivido se tivesse tomado uma outra decisão. Talvez ela já amasse Cha Eun Ho, mas era incapaz de perceber. 








     O sentimento era recíproco. Cha Eun Ho não terminava seus relacionamentos porque era um conquistador sem coração, ele não continuava porque Kang Dan Yi era a única que importava. E nas noites em que bebia até perder a noção de suas atitudes, e que a saudade de sua amiga batia forte, ele ia sem falta até a casa dela. Não consigo sequer imaginar o sofrimento dele, de ter que aguentar ouvir do outro lado todas as discussões e o quanto as coisas eram difíceis para ela naquele casamento.

"Quando Kang Dan Yi sorri, eu fico feliz. Quando Kang Dan Yi chora, meu coração se parte e me deixa louco. Quando Kang Dan Yi luta, eu também luto. Eu sinto falta dela quando ela não está comigo. Se isso é amor, acho que a amo então. Mas não sei se gosto dela como amiga ou por quem ela é. Eu não posso dizer. Estou curioso sobre meus sentimentos também."


     Não posso deixar de comentar uma das mais lindas confissões que já vi em um drama. E o melhor é a surpresa de quem, como eu, não conhecia a referência. Assim como Kang Dan Yi, foi preciso ele confessar uma segunda vez para que a gente descobrisse (no caso dela, entendesse) que ele estava dizendo que a ama. Meu coração se derreteu todo, haha. Eu sou muito boba com esse tipo de referência e jogos de palavras para demonstrar sentimentos. Fez sentido?






"Quando o autor, Natsume Sōseki, era professor, ele disse a seu aluno para traduzir algo como lição de casa. Quando o estudante traduziu 'eu te amo' para o japonês, ele traduziu palavra por palavra, 'eu te amo'. Como o povo japonês não fala isso com frequência, ele disse ao aluno que seria melhor traduzi-lo, 'A lua é linda.' É por isso que eu te disse: 'A lua é linda'."







Os protagonistas

– Cha Eun Ho


     É impossível não se apaixonar pelo carisma do Cha Eun Ho. Eu já mencionei o charme especial que ele tem, mas esse charme não é exclusivo do personagem, é como se fosse a cor do Lee Jong Suk. Existem diversos tipos de protagonistas, os narcisistas, protetores, românticos, descontraídos, entre outros. O charme do Lee Jong Suk é muito Lee Jong Suk. Não consigo identificar o tipo dele, e é por isso que ele é tão atraente. Ele tem a elegância típica de um flowerboy, mas não o definiria como um. Ele é do tipo protetor, que cuida da outra pessoa em silêncio, e tem a capacidade de ver através dela. Contudo, nesse drama, a dinâmica prevalece mais, tendo em vista que ele confia na força de Kang Dan Yi para cuidar de si mesma. Isso faz destacar sua racionalidade, por ele ser um personagem mais intelectual e sensível. Por alguma razão eu sinto que posso estar exagerando ou perdendo alguma coisa por estar tão encantada kk Entretanto, acho que posso concluir dizendo que aqui ele é o tipo intelectual apaixonado. Claro, sem esquecer de como ele é com seus amigos. Sempre atencioso. No caso da Song Hae Rim, como um irmão. No caso do seu sócio, como um parceiro visionário e idealista (bons livros antes de dinheiro).


Racional, porém louco
     Aliás, percebi que enquanto tentava descrevê-lo, me recordava vez ou outra do Choi Dal Po. Eles provavelmente devem ter algo em comum. Será que eu deveria fazer um texto comentando os personagens do Lee Jong Suk? Agora eu fiquei curiosa para saber se tem algo neles que possa ser considerado como a sua identidade. Não diria que são "o mesmo personagem", até porque isso soa ofensivo para um ator. E outra, não só de jovens belos e charmosos vive Lee Jong Suk, ele também interpreta personagens mais complexos, como o caso do escritor Kim U-jin, em Louvor à Morte (The Hymn of Death).




– Kang Dan Yi

     Eu não conheço outros projetos com a Lee Na Young, então não posso fazer comparações e tenho pouco a dizer sobre a personagem. Eu já apontei que considero Kang Dan Yi uma personagem forte e independente. E aqui isso se difere da sua condição. Ela estava desempregada e sem ter onde morar e isso não significa que ela dependia de um homem para sobreviver. Tanto que as suas conquistas foram seus méritos e ela conseguia superar os desafios com garra e muito ânimo. Além disso, a personalidade de Kang Dan Yi é muito cativante e ela também mantém seu ar de mais velha. Agora que estou pensando sobre, ela não chega a se vestir de forma mais jovem e ousada como a diretora Go ou a supervisora Seo. Isso é bacana, porque nos recorda que ela é uma mãe e profissional, e favorece a sua meiguice antes da sua beleza (tem uma diferença, tá? A primeira me parece mais uma qualidade da alma, enquanto a segunda pode ser um aspecto físico). 



Os personagens secundários

– Song Hae Rin

     Song Hae Rin é um anjo sem defeitos e mais uma entre as mulheres brilhantes e talentosas do drama. Dei graças por ela não ser aquela típica coprotagonista que a única função é encher o saco e gerar ira do telespectador. Song Hae Rin é também uma profissional séria, amante dos livros como todos os demais, e uma colega de trabalho excepcional. Ela pode ter perdido a paciência algumas vezes com a sua hoobae e também ter se mostrado exigente. Todavia, a personalidade dela é bem flexível. Ela admite quando está errada e sempre se dispõe a melhorar.

     Sem falar que ela, apaixonada pelo Cha Eun Ho, é uma gracinha de ser humano. Arranca sorrisos deslumbrados de quem não consegue suportar a fofura dela. Começando com as várias cartinhas que deixa entre os livros do escritório de Cha Eun Ho  típico de uma adolescente (afinal, ele é o primeiro amor dela)   e se estendendo até a crise alérgica que ela tem após ficar bêbada e dormir na casa do Ji Seo Joon. Outro desses momentos fofos ocorre quando ela tenta fazer as pazes com ele. Para isso, ela faz uma apresentação com mensagens escritas em um caderno em um estilo storytelling, em que se passa página por página.  Impossível não shippar esses dois com tantas cenas icônicas juntos, haha.



– Ji Seo Joon 

     Sem querer fazer uma referência ao primeiro momento que ele teve com Kang Dan Yi, se tem um príncipe em Romance is a Bonus Book, esse é o Ji Seo Joon. Ele tem uma aura de realeza que não sei explicar. Talvez devido ao seu sorriso e o seu amor pelos bichos, não sei ao certo. Ele costuma agir de forma desinteressada com quem não é Kang Dan Yi, mas ainda assim consegue ser um suporte para Song Hae Rin quando ela precisa. Gosto disso, porque há mais espontaneidade e sinceridade no relacionamento dele com a Song Hae Rin, considerando que ele vai conhecendo ela aos poucos, de uma forma amigável, e percebendo seus defeitos. O que no caso da Kang Dan Yi ele só teve surpresas, e ela já estava a frente desse primeiro estágio com o Cha Eun Ho. Ou seja, ele chegou tarde demais.

     Outro ponto a seu favor é que embora o primeiro encontro entre ele e Cha Eun Ho tenha sido cheio de suspense, logo que isso passa os dois se tornam bons amigos. Típica amizade de homem, na verdade. Está ali, mas não precisa ficar anunciando para ser real. O mais divertido disso é a cena de bromance que eles compartilham, haha. Eu gosto de pensar que os dois são irmãos, considerando o que se descobre depois.



– Colegas de escritório

     Todo mundo nessa editora é louco e talentoso. A diretora Go parecia ser chata no início, uma workaholic plagiadora, mas me surpreendeu (talvez a todos nós), se mostrando uma mulher competente e justa. Alguns dizem que, apesar de ser muito bem sucedida, ela não está aí para mostrar que as mulheres podem ser autossuficientes, tendo em vista que ela se sente sozinha e infeliz. Pode ser, mas acho que a solidão é algo possível a essas mulheres, é real também. Não é que ela precise de um marido para ser feliz, mas todos estamos propensos a sentir falta de nos comprometer, de ter alguém para confiar e ser confidente. Ela se fecha muito para outras pessoas e isso pode ser observado na maneira que ela olha para a supervisora Seo e a Kang Dan Yi agindo como melhores amigas. Inclusive, aquela noite mesmo foi um momento para ela compartilhar seu sentimentos. Um grupo de mulheres que se juntaram para dar forças uma as outras. Acredito que isso bastou para a diretora Go perder um pouco do seu sentimento de solidão. Ah, e eu gostei que ela acabou ficando com o presidente no final, afinal, ele precisa de uma mulher incrível para servir de exemplo para suas filhas.  Além de ser divertido saber que ele possui o lado doméstico que ela não tem.

QUE MULHERÃO
     Quanto a supervisora Seo e o seu ex-marido Bong Ji-Hong, eu não consegui compreender muito bem o relacionamento deles. Entendo que ela está livre, leve e solta, e ele está querendo reatar com ela. Aliás, eu ri muito da cena final do último episódio em que todo mundo estava assumindo o relacionamento de mãos dadas e ele tenta agarrar a mão dela para mostrar que eles estão juntos, mas ela solta a mão dele kkkk Enfim, se alguém entendeu o que isso significa, me conta nos comentários, por favor. Acho que podem ter deixado em aberto a possibilidade, e a gente imagina se eles poderiam voltar ou não.

     E quanto ao casal Park Hoon e Oh Ji-Yool, eles me fizeram rir bastante. Aquela cena dos dois dormindo no meio da sala de reunião foi épica kkk Eu admiro a lealdade do Park Hoon, ele é muito esforçado. E a Oh Ji-Yool se tornou uma verdadeira editora, mostrou que com esforço e comprometimento a gente consegue se tornar a melhor versão de nós mesmos. Espero aprender com ela.


Você pode achar interessante...

      Primeiro, eu queria deixar meus agradecimentos à Netflix, pois graças ao serviço de streaming eu tomei conhecimento desse drama. E também ao AnimesCX, que foi o fansub que me ajudou com a ansiedade por novos episódios. Estão de parabéns pela eficiência e a pontualidade. Ah, e também aos criadores dos GIFs, vocês são bons demais, tanto que eu não resisti e tive que encher essa página deles. Obrigada ♥️

    Segundo, eu queria deixar aqui os meus desejos de ótimo serviço ao Lee Jong Suk, embora ele nunca vá ler isto. Espero que ele se mantenha saudável e aguente firme esses dois anos. Mesmo que tenha se alistado para o serviço público, eu entendo que não é tão fácil assim aguentar a barra por tanto tempo. Por fim, fiquem com a trilha sonora do drama, que é bela e sem defeitos.

Você pode gostar também

2 comentários

  1. comecei a assistir e não tava dando nada por esse dorama, mas depois fui curtindo e assisti tudo de uma vez.
    Parabéns pelo post, ficou muito daora <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Que bom que gostou ^_^

      Em breve vou escrever mais resenhas, volte sempre ❤️

      Excluir

Curta a página no Facebook

Anúncio